23.10.06

Murilo Mendes: Lamentação

Como não sou poeta, Murilo Mendes, com sua poesia, conseguirá transmitir meu estado de espírito ao final deste dia.....
Lamentação
Nenhum homem tem mais saída:
Antes de nós o dilúvio.
Durante, o tédio no caos.
Depois, o épico escuro.
A esperança desespera,
Os olhos não são para ver
Nem os ouvidos para ouvir.
O diálogo virou monólogo,
Meio-dia é meia-noite.
Todos curvados constroem
Suas próprias algemas.
O longo ai das criaturas
Sobe para o céu
Formado de espadas.
"TODOS CURVADOS CONSTROEM SUAS PRÓPRIAS ALGEMAS"

Um comentário:

Extranha disse...

Esse lamento não combina com seus outros posts.
Você parece uma lutadora e não alguém que se deixa levar pela falta de esperança!