6.10.05

Posturas estranhas...

Nas palavras e no posicionamento do Bispo Cappio, e, na própria posição da Igreja Católica, algo me intriga!
Um Bispo, religioso que possui uma posição elevada na hierarquia da Igreja se propõe a fazer uma greve de fome até a morte.
Para mim, seja qual forem os fins, isso é suicídio.
E estou lendo poucos clamores da CNBB e do restante do clero contra tal espécie de suicídio.
Segundo a doutrina, ninguém, a não ser Deus, tem o direito de tirar a própria vida.
E o Bispo Cappio tem?
E tem o direito de responsabilizar outra pessoa, no caso o presidente Lula por sua possível morte?
E eutanásia, aborto, suicídio não são pecados gravíssimos segundo os dogmas da Igreja?
Caso, por acordos políticos com o governo, ao qual não interessa criar um mártir no Nordeste, o Bispo não interrompesse sua greve de fome, os fins compensariam os meios?
Ele que aceitasse a responsabilidade por seus atos ao invés de atribuí-las ao presidente ou a quem quer que seja.
E, me pergunto: os suicidas ainda não podem ser enterrados em solo consagrado ou isso já acabou?
A igreja Católica que usa toda a força da mídia que possui contra qualquer pessoa que tome um posionamento contra seus dogmas, no caso atual não demorou muito a manifestar-se?
No caso em questão, as palavras "greve de fome até a morte" têm o sabor de chantagem política!

Um comentário:

Márcia disse...

Concordo plenamente. Eles sempre são os donos da verdade.